quarta-feira, 8 de abril de 2015

"Diário de Bordo"

Estou me aperfeiçoando, fazendo uma licenciatura em artes Visuais. Preciso como atividade do curso fazer um "Diário de Bordo" . Deixarei este espaço para acrescentar minhas experiências e expectativas quanto ao curso. 

As vezes me sinto desanimada, e dá vontade de desistir, mas como não gosto de deixar nada pela metade, vamos lá. Conto com o apoio de vocês! Bjs.


Este link abaixo, mostra um vídeo  da Maria Angela Di Sessa sobre a história da fotografia. Achei muito interessante.
https://www.youtube.com/watch?v=Oj2gU13A3qc


Bom dia!


As obras do artista Ron Mueck chocam pela grandeza e os detalhes, o hiper realismo e as dimensões que ele usa em seu trabalho chegam a ser inquietantes mas muito interessante.









Atlas

Algumas definições
 Na mitologia grega, Atlas é um titã, um gigante condenado a carregar a Terra e os céus nos ombros.
 Atlas é o nome da primeira vértebra das cervicais em contato direto com o osso que sustenta a cabeça, ou seja, o nosso mundo.
 Atlas pode ser um livro de mapas.
 Atlas também pode ser uma coleção, seja de elementos geográficos, históricos ou de qualquer outro tipo, que impreterivelmente se encontram reunidos em um mesmo livro.
 O filósofo francês Georges Didi-Huberman, curador da exposição Atlas (realizada no Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madrid, entre os dias 24 de novembro de 2010 e 28 de março de 2011) apresenta a questão de trabalho para compor a exibição (vídeo em inglês, legenda em espanhol):
 [o atlas de Warburg] Leitura do Dossiê Warburg, organizado por Cezar BARTHOLOMEU.
http://www.ppgav.eba.ufrj.br/wp-content/uploads/2012/01/ae22_dossie_Cezar-Bartholomeu_Aby-Warburg_Giorgio-Agamben1.pdf
[o atlas de Richter] Atlas é nome dado a coleção de fotografias, jornais, recortes e rascunhos que Gerhard Richter coleta desde os anos 60. Há alguns anos o artista começou a classificar e organizar esse material em folhas de papel. Atualmente ele possui 802 folhas categorizadas por relações temporais e temáticas. Essas imagens, além de permitir acompanharmos as diferentes fases do artista e as mudanças imagéticas dos períodos, ela apresenta, principalmente, um mapa do imaginário de Richter.
Realização do próprio Atlas





Uma das Òperas mais lindas que já vi.
Notre Dame de Paris






Um comentário:

Ronaldo disse...

oi Bel blza seu e seus trabalhos.A persistência nos fará crescer, os caminhos são muitos, cabe-nos segui-los. Abraço